09 fevereiro, 2009

Existo

"Tem nome o que me explode no peito desde muito cedo.
É o sentimento mais sublime, Milenar: O Amor
Não sei viver sem senti-lo, não existiria...
Mas não posso exigir de ninguém, só atraí-lo a mim em toda minha vida.
Vida singular, e sinto intensamente. Existo!
Às vezes imperceptível para os demais... Mas Existo!
Tenho que ter paciência pra saber chegar aos lugares de tudo que quero mas tenho que ir buscar... Nem se for à minha tristeza que aprendi a converter em Amor para ser a heroína da minha história.
Entendo que nem todos sentem e expressam ou que sentem igualmente... Tem tantos jeitos de amar...
Somos singulares, nossos sonhos também e sem sonho ninguém chega a lugar algum, cada qual com sua vida a realizá-los.
Respeito mútuo eu considero e exijo. Procuro ser complacente. Às vezes sou obrigada a escolher o lado que quero ficar sem esquecer as razões do oponente.
Mas quando se trata de meus filhos... Para amenizar a dor na hora do amadurecimento, vou ao infinito, mas me busco para não interferir.
E às vezes não posso atuar só assistir, bem de perto pra poder amparar...
Mas confesso que tenho mais aplaudido... O que agradeço a Ele
Vivo apaixonadamente minha existência,
E agradeço a infinidade da vida onde estou e tudo que conheci e aprendi...
E quando sinto aquele vazio... Aquela chama que acende em meu peito implorando por um cúmplice, sei que não falta nada de tempo...
E procuro olhar ao redor... No mar, na lua, nas estrelas e sinto, sinto tão perpétuo... Como se estivesse tatuado em meu sangue.
E sinto que ainda falta me conhecer... E é por isso que vivo plenamente
Para o que meu coração mandar.
E é para essa vida que existo, sorrio, e sinto cada vez mais
Apaixonadamente....”