27 junho, 2014

Pensamento ... ( 45 )


Pensamento ... ( 45 )

E elas surgem
Como se nada pudesse impedi-las...
Nem as palavras fugidias...
Nem o olhar já tão distante dela
Logo depois do sol nascer
Logo após uma insônia infinita
Dolorida, sem historia pra contar
Era assim, há muito tempo...

Nem adiantava abrir a janela
Porque ali estava sem sol a lhe fitar
Como se a doçura da vida
Fosse amarga como fel pra ela
Sem luz, sem respirar
Para o futuro tão incerto, sombrio
Pela solidão tão almejada
Afastando-se de si
Fugir para algum lugar
Longe dela mesma
Longe de seus sonhos...

E elas surgem
Lágrimas choradas
Sem seus sonhos para impedi-las...
Sem lembranças pra esquecer
Sem ‘suas metades’ para sobreviver
Além de tudo
Depois de um novo amanhecer ...

DúKarmona®