14 setembro, 2014

Agora!

Agora!

Sem entender o que fazer aqui agora
Sem desistir disso tudo ai afora
Sem começo nem fim
De um dia feliz que era pra ser agora

Terá que seguir até o fim
Mesmo que gritem os poemas
Em altas madrugadas
Que a solidão
Não é tarde jamais
Que não lhe escapa assim
Mesmo ainda não sabendo
O que fazer aqui agora...

Quero te colher em meu jardim
Esquecendo das cores sombrias
Das estrelas perdidas
Entre flores fantasmas
Em tempo corrido
E talvez perdido...

E te quero flor,
Quero enfim
Em todo tempo de mim
Tatuado, sem dúvidas...
Quero te colher em meu jardim

Dú♥Karmona®