27 junho, 2014

Pensamento ... ( 45 )


Pensamento ... ( 45 )

E elas surgem
Como se nada pudesse impedi-las...
Nem as palavras fugidias...
Nem o olhar já tão distante dela
Logo depois do sol nascer
Logo após uma insônia infinita
Dolorida, sem historia pra contar
Era assim, há muito tempo...

Nem adiantava abrir a janela
Porque ali estava sem sol a lhe fitar
Como se a doçura da vida
Fosse amarga como fel pra ela
Sem luz, sem respirar
Para o futuro tão incerto, sombrio
Pela solidão tão almejada
Afastando-se de si
Fugir para algum lugar
Longe dela mesma
Longe de seus sonhos...

E elas surgem
Lágrimas choradas
Sem seus sonhos para impedi-las...
Sem lembranças pra esquecer
Sem ‘suas metades’ para sobreviver
Além de tudo
Depois de um novo amanhecer ...

DúKarmona®

17 junho, 2014

E Penso ...
























E penso...

Naquele vazio no peito...
As mãos vazias
Indecifrável...
Sem palavras
Vestida de sensações
Insônias de erros?
Erros humorados que brincam
Dor no peito sem ouvir
Sem saber
Esses erros em conversas
Com essa solidão humorada
Sem sorriso perfeito
Sem lugar para o meu amanhecer


DúKarmona®

12 junho, 2014

Feliz Namorado dos Meus Dias ...
































Feliz Namorado dos Meus Dias...

Lindo Namorado
Cúmplice dos meus pecados...
E de um amor exagerado...
Namorado Lindo
Cúmplice dos meus dias
Que vive em melodias...
Suspiros e sussurros,
Segredos e certezas!
Apaixonado...
Feliz namorado
Dos meus dias...
Cúmplice da minha vida,
Dos meus amores...
Exagerado, intenso.
Que vive em minhas melodias,
Em minhas poesias...
Em minha inspiração!
Dia dos Namorados,
Eu Vejo todos os dias,
No seu sorriso antigo...
No seu jeito de me olhar...
Da sua Paixão,
Que vira poesia.
Vira Presente em Nosso Dia
Presente difícil de se ganhar!!! 

DúKarmona® 

02 junho, 2014

Libertação




Libertação
Liberta-te desse fogo que queima
Deste teu corpo sem memória
Que num canto há de morrer
Enquanto o outro em ti sobreviver
Tatuando em teu corpo teus desejos
Fazendo de ti a tua voz
Liberta-te disse que chama de amor
Que te cega e te aprisiona
Fazendo de ti refém
Em sonetos que te calam
Fazendo de ti em teu canto morrer
Dú♥Karmona®
Recanto das Letras